Rolim de Moura inicia segunda etapa da maior Obra

É a maior obra de infraestrutura e urbanismo no estado de Rondônia
Publicado em: 12 de Fevereiro de 2018

Rolim de Moura...

A Prefeitura de Rolim de Moura iniciou nesta semana a segunda etapa da
obra de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, a primeira etapa foi
concluída no ano de 2016 e inaugurada fevereiro de 2017.

A obra vem modificando e transformando o centro da cidade. A primeira
etapa teve um investimento no valor de R$ 1 milhão de reais, recurso
adquirido por meio da emenda do deputado federal Nilton Capixaba e com a
contrapartida do município no valor de R$ 20 mil reais. E contemplou os
canteiros centrais entre as ruas: Corumbiara até a Rio Madeira, das
avenidas Fortaleza e Florianópolis, suas transversais Norte Sul e Barão
de Melgaço.

SEGUNDA ETAPA

A Segunda etapa contará com um investimento no valor de R$ 1.038.588,89
fruto da emenda parlamentar do Senador Acir Gurgacz, com contrapartida
da Prefeitura de Rolim de Moura.

Já a segunda etapa contemplará as seguintes ruas e avenidas:

Avenida João Pessoa entre Norte Sul e Jaguaribe;
Avenida Rio Branco entre Norte Sul e Jaguaribe;
Avenida Recife entre Norte Sul e Corumbiara;

O convenio foi realizado através do Ministério da Defesa por meio do
Programa Calha Norte e atende todos os critérios legais, desde os
ambientais aos administrativos e todo o projeto está sendo executado
conforme rege a legislação.

A Construtora Valtran LTDA, terá o prazo de 150 dias para a conclusão da
obra de infraestrutura.

ÁRVORES

O projeto visa ainda a retirada das figueiras conhecidas como FICUS
BENJAMINA e a substituição por árvores floríferas e frondosas, deixando
a cidade mais bonita.
A equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Secretaria de Obras
já está trabalhando e realizando o plantio de novas mudas de árvores
como Ipês, Jacarandá, entre outras espécies que não danificam as
calçadas da cidade e deixam um aspecto mais agradável.


Segundo a engenheira agrônoma e paisagista Cristina Weirich Vergara, as
mudas de árvores que estão sendo plantadas nos canteiros, são espécies
de ipês de várias cores, e devem iniciar o ciclo de floração em 4 anos.


Ao todo, foram plantadas mais de 350 mudas, adquiridas no viveiro do
presidio semiaberto do município, cultivadas pelos presos da unidade.


Os ipês estão sendo plantados nos canteiros centrais da Primeira etapa
da obra e nos canteiros das ruas que receberam asfaltamento, inclusive o
plantio de grama. Após a conclusão da segunda etapa da obra de
infraestrutura a equipe realizará o plantio nestes canteiros.

Mas porque tirar o FICUS?

Aquela arvorezinha, com folhinhas verde brilhantes, que chegou bem
pequenininha, inofensiva, e foi plantada nos canteiros centrais e na
calçada.
Um dos principais motivos é que suas raízes irão procurar água e
nutrientes, como se tivessem sempre uma intensa sede e fome. Se
encontrarem um cano pelo caminho, ótimo: servirá de fonte. Não contentes
com a água ali absorvida, continuarão a procurar, penetrando cada vez
mais na terra. Enquanto isso seu tronco, galhos e copa aumentam
proporcionalmente.


Em muitas cidades, por causa da destruição que a árvore causa, o plantio
dos fícus está proibido.

Por exemplo nas cidades:

Maringá (PR)
Link da lei:
https://cm-maringa.jusbrasil.com.br/legislacao/644678/lei-4806-99

Sinop (MT)
Link da lei:
http://www.sinop.mt.gov.br/meioambiente/fotos_downloads/13.pdf

Belém (PA);
Link da lei:
https://cm-belem.jusbrasil.com.br/legislacao/570672/lei-8596-07


Fonte: AIPMRM