Francisco Xavier
Francisco Xavier

Coluna

Coluna do Xavier

Coluna do Xavier - Cacoal: Política, a Educação e os Devaneios...

27 de julho de 2017
Publicado em: 28 de Julho de 2017

A população de Cacoal demonstrou, nas urnas, em outubro passado que estava disposta a dar à, então deputada, Glaucione Neri a oportunidade que ela sonhava para ser prefeita da Capital do Café, visto que ela sempre manifestou este sonho, quando conversava com pessoas do município, especialmente lideranças políticas ou caciques políticos do universo cacoalense que, eventualmente, poderiam ajudá-la concretizar o sonho de governar a cidade. Depois de apurados os votos e após a posse, a realidade se aproxima mais da letra de uma composição de Raul Seixas epigrafada como Prelúdio...

A realidade do município mostra que talvez a prefeita não imaginasse que administrar uma cidade vai muito além de chavões utilizados em panfletos de campanha. Até hoje, Glaucione não convenceu seus assessores a sonharem junto com ela. O máximo que temos visto são delírios de alguns dos secretários que também não sabem o que estão fazendo no cargo. A impressão que fica é que muitos deles foram forçados por partidos, caciques ou curumins a assumirem um ou outro cargo, apenas para ocupar, numericamente, algum espaço, fato que enfraquece o sonho de qualquer pessoa, isso quando não transforma em pesadelo. Todos os dias, ouvimos na cidade pessoas que reclamam de um ou de outro secretário, sendo que são poucos os que não sofrem duras críticas. É visível que o presidente da Fundação Cultural, Emanuel Alves  está entre os poucos assessores de primeiro escalão que recebem elogios até mesmo de pessoas que divergem da administração. Além de Emanuel Alves, o Secretário de Esportes de Cacoal merece elogios porque sua pasta tem funcionado bem e tem atendido as demandas. Vale lembrar, sobre a Funcal, que o presidente assumiu o cargo bem depois dos demais e, mesmo assim, tem atuação muito mais efetiva...

A primeira baixa no primeiro escalação foi justamente um secretário que recebia muitos elogios dos servidores da pasta, o que é muito raro em uma administração. Severino Bertino Neto deixou o cargo de secretário de educação num clima, no mínimo, nebuloso, porque ele tinha o apoio declarado de quase todos os vereadores, do Sindicato dos Servidores Municipais e dos profissionais da educação. É realmente muito estranho que ele tenha saído. Na verdade, os bastidores estão cheios de versões, mas vamos esperar o tempo passar e depois comentamos sobre elas. Para ser bem sincero, considero mais facial encontrar um ex-aluno de Sueli Aragão ou de Glaucione do que entender o enredo que culminou com a saída do secretário. É curioso lembrar que Sueli e Glaucione sempre disseram que são professoras, mas ninguém conhece um ex-aluno de nenhuma delas. Além disso, as duas são do PMDB. É pura coincidência!! Caso os ex-alunos de nossa ex-prefeita e de nossa prefeita fiquem chateados, antecipo minhas desculpas, mas realmente não os conheço...

A saída do secretário Bertino vai se transformar em um problema político que até então a prefeita não previa, porque ele esteve entre os principais apoiadores de campanha. Foram várias reuniões onde ele defendeu com bons argumentos a eleição da prefeita e levou diversas outras pessoas a se juntarem. Sinceramente, entre todos os secretários, o que mais teve peso político na campanha de Glaucione foi o Bertino, já que os demais não agregam muita coisa. Conheço diversos colegas que entraram na campanha por causa do ex-secretário. Quero aproveitar a oportunidade para me solidarizar com todos os professores do município de Cacoal, porque eles terão que lidar, pelo menos interinamente, com uma secretária que está longe de sala de aula há pelo menos 20 anos. Neste período já mudou muita coisa na educação. Claro que isto não quer dizer que eu tenha problema pessoal com a secretária interina. Lógico que não tenho! Nem pretendo ter amizade com ela, porque ela carrega no currículo a experiência de ter sido, por muito tempo, cabo eleitoral de Kaká Mendonça. Nem vou perder meu tempo comentando detalhes sobre o ex-deputado, porque nunca acreditei nele como político e pelos acontecimentos jurídicos relacionados com o ex-deputado, não estou sozinho nesta tese...

Já que estamos fazendo uma reflexão sobre a educação, aproveito para registrar que neste domingo será o aniversário do meu amigo Edinaldo Lustosa que foi secretário de educação do estado pouco tempo atrás e que é merecedor de elogios por ser uma pessoa humilde e de muita dignidade. Muitas pessoas não sabem, mas Edinaldo Lustosa demitiu mais de 1000 professores que não sabiam nem onde eram lotados, mas recebiam salários. Ele chamou um por um em seu gabinete e mandou embora, inclusive os que moravam na Europa. Depois disso, ele distribuiu os valores economizados nos salários daqueles que dão aula mesmo e isso precisa ser registrado, especialmente quando faço alusão ao seu aniversário. Os dois filósofos da honestidade certamente estarão na casa do Lustosa no domingo, ocasião em que poderemos tentar discutir sobre um novo nome para secretário. Uma coisa podemos dizer, com certeza: existem centenas de professores em Cacoal que possuem currículo muito melhor do que ter sido cabo eleitoral de Kaká Mendonça... Tenho dito!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES
Professor da Rede Estadual

 

 



Fonte: Francisco Xavier Gomes

Mais de Francisco Xavier