Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

Boca Maldita - 12 de janeiro de 2017

12 de janeiro de 2017
Publicado em: 12 de Janeiro de 2018

EX-QUASE MINISTRA - O clima em Brasília não é dos mais favoráveis para o presidente Michel Temer, nos últimos dias. Esta semana estava marcada a posse da deputada federal Cristiane Brasil para ocupar o cargo de Ministra do Trabalho, mas uma série de decisões judiciais impediram a posse. As ações impetradas contra a deputada se fundamentam no fato de que ela contrariou princípios básicos da legislação trabalhista quando se recusou a pagar ações em benefícios de trabalhadores que prestavam serviço a ela, entre eles um motorista que alegou trabalhar para a família por 15 anos. Para quem não conhece, Cristiane Brasil é filha do ex-deputado Roberto Jefferson, réu confesso condenado na ação do Mensalão. Embora tenha uma ficha criminal extensa o deputado mensaleiro é a pessoa que determina as decisões do seu partido, PTB, sigla da qual é presidente há muitos anos. Em geral, os deputados do PTB votam sempre como manda Roberto Jefferson. Como o partido tem quase 20 deputados, o governo se curva sempre aos caprichos da sigla. Aliás, Roberto Jefferson é amigo do presidente Michel Temer, tendo exercido mandato junto com ele na Câmara Federal.
 
ELEIÇÕES 2018 - O carnaval ainda não chegou, mas os bastidores políticos estão a todo vapor no estado de Rondônia. Os velhos políticos tentam de tudo para fazer o eleitor esquecer dos últimos escândalos no país e votações no Congresso Nacional, quando muitos trabalhadores foram castigados por diversos congressistas de Rondônia. A vida dos velhos dinossauros da política não será muito fácil neste ano, caso os eleitores e sindicatos não sejam vitimados pelo ópio eleitoral. Há décadas os eleitores falam muitas coisas contra político A, B, C e até o alfabeto inteiro, mas depois viram cordeirinhos e passam a campanha inteira bajulando os antigos algozes. Não seria exagero nenhum afirmar que muitos eleitores, de Norte a Sul do país, foram acometidos pela Síndrome de Estocolmo, no contexto político, dada a forma como muitos políticos sem nenhum compromisso com a população são endeusados pelos eleitores. É um fenômeno muito estranho!!!
 
INVERNO AMAZÔNICO - A prefeita Glaucione Rodrigues terá muito trabalho neste começo de ano, em virtude da imensa quantidade de buracos nas ruas e avenidas da cidade. Para fazer justiça, é necessário dizer que muitos desses buracos estão nas ruas desde a gestão anterior, além do que neste pesado inverno amazônico fica realmente difícil fazer trabalhos desse tipo. Entretanto, tudo indica que as chuvas ainda cairão pelo menos até o mês de abril, período de começo da estiagem na Amazônia. Isto significa que as cobranças aumentarão constantemente e as pessoas que circulam pelas ruas e avenidas de Cacoal terão que fazer um verdadeiro teste de paciência, até o final do primeiro quadrimestre deste ano. O problema é que diversas pessoas da administração fizeram muita propaganda informando que com um novo orçamento a situação seria diferente. Então vamos esperar que a administração seja criativa e encontre os caminhos para resolver os problemas de buracos, ainda que parcialmente.
 
NOVO ORÇAMENTO - Durante os últimos 12 meses, a prefeita Glaucione Rodrigues foi muito cobrada pela ausência de algumas ações mais efetivas no município de Cacoal. Em algumas dessas ocasiões, ela informou que determinadas situações não caminhavam bem, em virtude de ter trabalhado em 2017 com um orçamento de outra administração. Realmente o orçamento executado no ano passado, foi aprovado em 2016, quando Franco Vialleto ainda era o prefeito. Porém, a partir de agora, a situação muda um pouco, visto que Cacoal tem um novo orçamento, sendo que as diretrizes e previsões orçamentárias para este ano foram todas encaminhadas pela atual administração. Logicamente que a prefeitura não vai fazer milagres, mesmo porque o orçamento é uma previsão, porém pode sofrer algum percalço que interfira na efetivação de algumas previsões orçamentárias do município.
 
SUCESSÃO ESTADUAL - Os partidos constituídos oficialmente em Rondônia começam a se movimentar, objetivando a escolha de nomes para os diversos cargos que estarão em disputa nas eleições de outubro, entre eles o cargo de governador do estado. A Rede de Sustentabilidade, partido criado pela ex-senadora e ex-ministra Marina Silva, já anunciou que o advogado Vinicius Valentin Raduan Miguel é o pré-candidato da sigla à sucessão do governador Confúcio Moura. A Rede, partido de Vinicius Miguel, surgiu a partir da idéia de que os partidos que existiam no país até 2013 não serviam para apresentar propostas que pudessem resolver os problemas do país, pelo menos era isso que pregava Marina Silva, como essência maior da REDE. Além do partido da ex-ministra, outras siglas apresentaram nomes de seus pré-candidatos, como é o caso do  professor Pedro Nazareno Oliveira da Silva, pré-candidato do PSTU ao governo. Claro que o leitor já conhece alguns dos nomes de partido mais conhecidos e mais adiante vamos comentar aqui sobre eles. Esses dois nomes são, porém, novos no cenário e precisam ser mostrados para que o eleitor tenha maiores condições de avaliar o conjunto. 
 
DESEJO SOCIALISTA - Aliás, os comentários sobre a pré-candidatura de Vinicius Miguel ao governo animaram o vice-governador Daniel Pereira. O motivo da euforia foi o fato de uma publicação em um portal eletrônico conhecido ter perguntado a opinião dos leitores sobre uma eventual aliança na qual Vinicius seria vice de Daniel. Ao comentar a publicação, o próprio Daniel Pereira disse que gostaria muito que acontecesse, mas isso é apenas uma especulação, como também se especula de norte a sul de Rondônia que o governador Confúcio Moura deixa o cargo em abril para disputar uma vaga no Senado da República. Caso isto aconteça, o que não é impossível, Daniel assumiria o governo do estado e passaria a ter a condição de disputar a reeleição para o cargo. As muitas reuniões ocorridas neste final de ano movimentaram o universo político rondoniense. As indefinições, porém, não têm data certa para acabar, mas o prazo de escolha de candidatos em convenções partidárias vai de 20 de julho a 05 de agosto. Até lá, muitas coisas vão acontecer e muitas mudanças de planos são previsíveis.
 
AUMENTO  SALARIAL - Esta semana, circulou uma notícia em várias redes sociais onde pessoas de Cacoal participam, informando que um grupo de vereadores está se articulando nos bastidores para aumentar o salário dos vereadores da Capital do Café. Conversamos com pelos menos seis vereadores que afirmaram desconhecer a informação. Entretanto, três vereadores do grupo que elegeu o vereador Corazinho realmente defendem a ideia do aumento, embora hoje eles não tenham votos para aprovar a medida. Vale salientar ainda que a Lei Orgânica do município de Cacoal estabelece em seu Artigo 13, no inciso VII, que o salário dos vereadores deve ser votado 30 dias antes das eleições municipais. Isto quer dizer que somente pode haver o aumento, caso os vereadores façam uma alteração na legislação. Depois do que aconteceu no processo de eleição da Mesa Diretora, não dá para garantir que é impossível, mas uma coisa é certa: a indignação da população seria total. Uma moradora do bairro BNH enviou email para BM dizendo que muitos vereadores de Cacoal não merecem hoje um salário mínimo.
 
FÉRIAS ALONGADAS - As férias dos vereadores ainda não terminaram, já que Cacoal está entre as raras casas legislativas do Brasil onde os membros gozam de quase 100 dias de férias. A questão é que a legislação brasileira determina que as casas legislativas devem ter o recesso parlamentar limitado ao período de, no máximo, 55 dias. Em Cacoal, este período é superior a 03 meses, mas parece não incomodar nossos edis. Assim, os trabalhos de deliberações na Casa de Leis terão início apenas no dia 05 de fevereiro, que é uma segunda-feira, dia no qual ocorrem as sessões ordinárias na Capital do Café. Na verdade, alguns vereadores começaram voltar aos gabinetes no começo desta semana, mas apenas para atender pessoas que eventualmente procuraram a câmara. As deliberações de Plenário não ocorrem neste período e muita coisa fica acumulada. 
 
FUMAÇA DE OPOSIÇÃO - Falando em vereadores, alguns deles mesmo no período de recesso mostraram que a prefeita Glaucione Rodrigues não terá vida fácil neste ano que inicia. Vários vereadores fizeram cobranças a ela e inclusive as cobranças foram veiculadas na imprensa, além de circularem em todas as redes sociais. O vereador Mário Jabá cobrou a suspensão dos trabalhos de recapeamento de ruas no período chuvoso, uma vez que a administração estaria desperdiçando material asfáltico. Claudinei Castelinho fez duras críticas relacionadas com o abandono de prédios públicos e a contratação de imóveis particulares, que segundo o vereador, pertencem a aliados da administração. Já o vereador Nilton César cobrou novamente agilidade da prefeita, declarando que ela não tem o preparo suficiente para gerir os destinos de Cacoal. Se durante as férias a situação está assim, tudo indica que a oposição vai se intensificar a partir de agora. A eleição antecipada da Mesa Diretora da Casa pode ter sido um estopim para isso, uma vez que muitos vereadores ficaram irritados. 
 
PEDAGOGIA DA IMPROBIDADE - Algumas pessoas que assumiram cargos de luxo na administração do ex-prefeito Franco Vialetto certamente vão ter bastante dor de cabeça em pouco tempo. Uma rápida análise nas páginas do Diário Oficial dos Municípios mostra que a situação vai complicar. Uma professora da área de Pedagogia que ocupava cargo de luxo na Secretaria de Educação está citada no diário e tudo indica que o resultado do processo será indicando a obrigação de devolver aos cofres públicos uma boa quantia em dinheiro. Essas coisas geralmente acontecem com servidores desinformados, mas muito apegado a privilégios e vida fácil. No caso desta pedagoga, ela tinha contratos do estado e do município, mas não cumpria um deles, segundo o que parece ser o caso. Uma coisa é certa: as pessoas com 60 horas de contrato dificilmente teriam condições de exercer cargo comissionado em um setor que funciona de 07 às 13 horas. Assim como o mestre Paulo Freire lançou a “Pedagogia do Oprimido” e a “Pedagogia da Esperança”, obras voltadas para a educação de adultos, surge agora a pedagogia da improbidade que pode ensinar muitos adultos a respeitar os limites da lei. 
 


Fonte: Redação

Mais de Boca Maldita